15 de abril de 2008

O Assassinato de Maria.

Maria morreu.

Maria era o cúmulo da inocênciae por causa disso mesmo ela era um perigo. Era perversa como uma criança, com a inocência perversa das crianças.

Maria também poderia ter se chamado Alice. Alice, pois vivia num mundo só seu, que nem os autistas, é... é isso, Maria era autista.

No mundo de Maria ela era cega. Pois é, é bem possível que vocês tenham dó da Maria, mas não tenha. Como um bebê acéfalo, ao meu ver, ela deveria ter sido natimorta.

Porém ela nasceu, não sei se por acidente ou se era para ter nascido mesmo, realmente não sei. Ela não nasceu do amor, nem do tesão, do por estupro. Acho que foi inseminação. Inseminação essa, imagino, ter sido feita enquanto a "mãe" da Maria estava dopada, aliás, ela nem viu a filha crescer nem nada, sempre esteve em coma.

Maria era como uma pedra no caminho.

Era autotrófica, se alimentava de si, não automaticamente, mas patologicamente mesmo. O que comia? TUDO! Sabe a viagem de Chihiro? Sabe um espírito que comia de tudo? Pois então, Maria era do mesmo jeito. É pode parecer estranho ser atotrófico e comer de tudo, mas ela tinha tudo em si.


Maria agia somente por reflexos, reflexos do mundo real. Esse mesmo, o mundo que as pessoas normais vivem ou tentam viver. Maria por ser autista no nosso e cega no mundo dela, vivia só com ela e para ela, não havia mais ninguém. Ela mesmo se bastava.

Pois então, eu matei Maria. Mas não foi assim friamente, quer dizer, em parte foi, mas foi inconscientemente. Fui a matando aos poucos, por asfixia e depois quando eu vi que ela estava quase morrendo, dei um tiro. Ela era legal as vezes, mas de resto só me atrapalhava, o seu assassinato era inerente.

_________________________

1. Acho que estou lendo contos demais
2. Todo mundo me perguntava o porquê da morte de Maria, tá aí.

9 comentários:

  1. na primavera calmariaaaaaaaaa
    tranquilidade uma quimera
    queria sempre essa alegria, viver sonhando quem me dera

    vocês


    no outono é sempri gual...

    ResponderExcluir
  2. provavelmente é

    mas mesmo que não seja é bom que diferencia e destoa das logias

    =)

    ResponderExcluir
  3. adorei o q c escreveu lá na Hora. gostei mesmo. aiai...



    agora vou ler a Idiooossincraasiiaa

    ResponderExcluir
  4. aaaahh.. o assassinato. olha assassinato. ssassi. ssaaasssi..

    q horror, vc matoumaria, meu

    ResponderExcluir
  5. Maria tá meio pra Macabéa agora...

    "A hora da estrela" hehehehe

    Ela não era tãaaao legal... E se era ela ou a original... a original então!

    (mas tá legal, o "conto"! menina...)

    ResponderExcluir
  6. mariaa......

    só parei pra ler agora (desculpa)

    geeeente que legal...muito bom eu me senti num conto folclórico daqueles que passam na TVE com uns bonequinhos estranhos.

    Maria foi pro cú da jia (eu descobri, écpm jota mesmo)

    bjo, alice.

    ResponderExcluir
  7. e o que você tem a dizer????

    sobre o conto ou sobre Maria? ou sobre Izabela?

    =(
    +(

    Mortes.. tantas mortes..parece até agosto

    ResponderExcluir
  8. Chihiro!!! Até hoje, desses trecos chineses, japonese [qualquercoisa]ês, só Chihiro, Gundam Wings e Akira (em ordem decrescente de aparecimento na minha vida) é que me apeteceram!

    A morte de si mesmo é uma mentira, a existência de si mesmo é sempre verdade, e somente a existência de si mesmo é verdade, não acha?

    ResponderExcluir

e o que você tem a dizer????