26 de janeiro de 2008

O sétimo selo.¹


Gente, tinha que partilhar uma coisa que seria trágica, sombria, funesta mesmo, mas como ocorreu comigo, é altamente patética. Eu pensei em me matar.


Sério, eu apesar de várias vezes anunciar "aaaaaaaaaaaa eu vou me matar, eu vou me jogar dessa lage, aaaaaaa vou tomar sicuta" eu nunca pensei isso de verdade com veemência. Mas, numa fatídica sexta feira a noite depois de uma festa, [ abre parênteses aqui rapidinho, sempre falei com minha mãe qual seria um dia ideal para morrer, a gente chegou a conclusão que segundas e domingos são péssimos, muito nelson rodriguiana, bonito pra morrer é sexta ou sábado a noite, talvez uma quinta, que é mais caio fernando abreu, mais noir, mas chique e clássico, ao menos ia começar a morte bem =p] mas sim, voltando, pensei, e de verdade em morrer, sem os meus peculiares e idiossincráticos risinhos de ironia² , em tirar a minha vida.


Eu tinha entrado no carro de um amigo que estava me levando para casa , já pensando como seria.

Primeiro eu pensei em escrever uma carta falando para os meus pais como eu os amo e como não foi por culpa deles. Depois pensei em como me matar, porque eu não queria morrer sentindo dor, achei viável, morrer com overdose de remédios pra dormir. Depois pensei o que eu escreveria para os meus amigos, para cada um, o que eu aprendi com eles, o que eles têm de bom, o que eu acho que eles devem mudar, tudo. Pensei também em meus parentes e dizer que apesar de odiá-los um pouco, eu queria que eles continuassem vivos.


Mas enfim, cheguei em casa, guardei os brincos vi minha mãe, falei que a festa foi... "aaa legal ae", deitei na cama, enfiei a cabeça no travesseiro e falei minha sentença:


- vou me matar amanhã, tô com um sono da porra.


E assim, passaram-se os dias, e ainda não voltou a vontade de se matar.


Acho que eu sou a única pessoa do mundo que não se mata por sono.


Vai ver é porque sou baiana (6)


Beigos e vivam.


_______________

1. Sétimo selo, filme do Bergman muito bom, se você tiver saco pra assistir filme em sueco, veja.

2. "sem os meus peculiares e idiossincráticos risinhos de ironia", porra peculiares e idiossincráticos risinhos de ironia, um dia tô até no programa do jô com tanta palavra dificil e metido a besta num só texto, é Kant, é nóis, véi.


6 comentários:

  1. KKKKKKKKKKKKKKKK
    Simplesmente a-may.
    Me identifiquei total...

    Compartilho deste mesmo problema, tiop sou deprê que fica suicida por estar muito tempo sem dormir e com as idéias não muito certas, então, dorme por cansaço e/ou necessidade desistindo de se matar.

    Mas, para não me ater somente ao lado negativo disto tudo, diria que não dar importância à dor é um grande passo.
    Sou favorável aos suicídios mais dolorosos possíveis.
    Porque tudo que é contra a vida, dói.
    Há tantas coisas, motivos, loucuras, etcs. na vida pra sorrir e continuar vivendo, que só posso partir desta pra melhor (ou pior, no caso de reencarnação) da maneira pior possível.

    ResponderExcluir
  2. o que eu tenho a dizer???
    o que eu tenho a dizer???

    hm...

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
    primeira pessoa que não se mata por causa de sono. Cara..

    ResponderExcluir
  3. escrevi uma coisa lendo metade daquele texto do caio

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem q vc não se matou!




    eu pensei q ia morrer, e tô aqui, vivíssima pra contar história...

    Senti falta de vc na hora fatídica, sabia?

    bjão
    (e eu quase terminei o sétimo selo...até onde vi gostei muito)

    ResponderExcluir
  5. fui eu, luana!aí em cima

    ResponderExcluir
  6. eu n sei se eu ouviria os conselhos de uma suicida...
    mas peraí!!!!
    õÔ

    ResponderExcluir

e o que você tem a dizer????