24 de junho de 2010

"And we won't be babies anymore"

Eu ando tão ocupada (blá blá blá - olha eu já estou cansada de dizer que ando ocupada, e ao invés de tentar mudar esse quadro procuro mais ocupação bleh.) Enfim, no atual estado que eu estou é engraçado porque meus amigos tem um parecer da minha vida através desse sítio amarelinho cheio de fotos minhas e que eu estou já enjoada do layout.
Então para facilitar a vida deles e como somente eles lêem isso mesmo - exceto alguns esparsos por ae que eu encontro de vez em quando e me assusto que sabem tanto about myself.
Vamo lá. Tava na dúvida entre fazer teatro ou terapia, a terapia consigo de graça e o teatro são 3 meses, sendo $170 cada, Laizamarea que vai ter que pagar a CNH dela, Laizamarea não vai fazer teatro, e tipo como modéstia nunca foi meu forte, o cenário cultural baiano, brasileiro, quiçá mundial há de perder muito com isso - tristeza.
Terapia, vocês sabem, eu tento, tento mas eu não consigo falar da minha vida para um estranho, é estranho, eu consigo falar dela num blog mas não consigo falar com um estranho cara a cara, patético? Também acho. Dai uma amiga minha disse recentemente que "Laiza, vc não vai a terapia fazer amigos", mas tem que rolar uma simpatia, sabe? Sei lá, e eu acho meio maluco d'eu pagar alguém para me ouvir, ficar 'futucando' a minha mente. Li Enigmas da Culpa do Moacyr Scliar em três semanas e tive ganhos maiores que nos 6 meses - foi isso tudo? - que eu fazia terapia. E Moacyr Scliar é tipo meu mais novo crush, está chegando perto do meu amor por Caio F.. Gente, que livro foda, mó bom mesmo, fala da culpa em todos os aspectos, a psicológica (15308482184 membros) literária (2248265 membros), neurótica ( 1 mol de membros) entre outras. Foca-se principalmente no povo judeu que se destaca em se foder em sofrer ao longo de toda a história, dessa forma tem um peso da culpa muito grande sobre seus ombros, ao menos sua maioria né? Tem todo um enlace filosófico também, envolvendo Nietzsche ♥ e Schopenhauer ♥.

Voltando, quando eu penso em terapia penso em sono, quando penso em teatro penso ‘what the fuck?! Cês acham que eu arranjo meu dinheiro como?”. É sei lá, sei que vou fazer não, sei que eu vou precisar de ajuda para passar o próximo semestre, que apesar de pouco animador, tudo vale a pena se a alma não é pequena e nem pela minha cabeça, nem pelo o meu IMC minha alma é enorme, mas o esforço haverá de ser grande e eu nunca fiz esforço grande pra nada na vida, mas como tudo tem sua primeira vez, siga me os bons.

Fora que gente eu ando tão paunocu sabe? Sei lá, paunocu mesmo sabe? Aff. Todavia sobre isso eu falo depois.


Beijos e stay beautiful.



2 comentários:

  1. ta biíto o blog!
    e...acho que teatro não substitui terapia, teatro n é terapia, mas ajuda rsrsrs. Pena mesmo q não vai rolar de cê fazer realmente, o cenário de arte soteropolitana (quiçá nacional..internacional? extraterrestre?!?!) perde muito! (sem ironia, ja disse que tu tem a pegada)
    ;}

    ResponderExcluir

e o que você tem a dizer????