14 de julho de 2008

"Não alimente seus monstros"


Ela disse que tirou isso de um filósofo que gosto muito, acho que era o Nietzsche, não sei.

E ela me falava muito isso.

Não alimente seus monstros menina, eles vivem de você.
Hoje, não sei onde eles estão. Apesar de não saber como chamá-los, eles sempre existiram, sempre achei que fizessem parte de mim. Mas parece que se foram.

Existe uma vontade mazoquista de que eles voltem, não é certo, mas parece que falta parte.

Assisti um filme que uma menina disse que não se sentia ela enquanto tomava prozac. Eu não tomei prozac, mas deve ser isso, o prozac deve funcionar como um rivotril para os monstros. Mas nenhum rivotril dura para sempre, a não ser em casos extremos, que acho que não foi o meu.

Não sei se realmente quero que eles voltem, acho que é a minha neorose com tudo. Mas se sentir você do jeito que você é, é bom, me sentia sendo eu com eles.

Eu devo ser uma reclamona, mesmo quando tudo está bem, reclamo da vida.

Louca.

Na verdade tenho medo deles voltarem. Se alguém ae souber como se mata de vez os seus monstros, me liga, me manda um telegramaaaaa, uma carta de amorr hehe brinks.

Mas enfim, tudo isso só pra dizer pra quem quiser ouvir, que ela e ele têm razão, não os alimente não. Talvez você conseguindo se desvencilhar deles seja mais você agora, puramente, e sem eles.

Beigos mil.

Um comentário:

  1. Aí que minha mãe diz que eu sou cuca fresca...

    Mas se a gente fica racionalizando muito em cima das neuroses, hum! fica lelé da cuca!

    ResponderExcluir

e o que você tem a dizer????