4 de novembro de 2007

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres.


Esse é o livro que eu estou lendo da Lispector.
Antes de tudo, queria dizer o absurdo que algumas faculdades fazem. Lispector não é pra ser tema de vestibular. Nunca! É como se fosse um estupro com requintes de crueldade à mente!
Eu estava comentando com uma amiga minha sobre isso esses dias, a gente concordou que todo mundo pode ler Clarice, mas nem todo mundo pode sentí-la! Um sacrilégio que fazem com ela, mandando um bando de meninos e meninas de 16, 17 anos, perdidos, ansiosos, sem foco. Não falo isso me excluindo não, quando eu tinha essa idade [ e no alto dos meus 20 anos, já posso ter essa visão abalisada sobre as coisas] eu era exatamente assim e teria uma enorme dificuldade de sentir Lispector.
Todavia, quando você está num estado de busca e busca sua, entenda busca no sentido de " a procura daquilo que te subjaz", a essência mesmo [ sei coleguinhas meus de filó devem estar enjoados já disso] você lê Lispector como um bolo de chocolate soberbo, com todas as caldas, recheios e coberturas que um bolo ideal deve ter. Mas como um bolo desses, você come aos poucos, senão você não sente todos os sabores que ele tem. Se ler Lispector como os meninos ávidos de vestibular, você engole tudo passa mal, de um jeito ou de outro, e acaba não degustando esse "maná".
Eu ainda não terminei, porque quero comer com cuidado, mas se você estiver nesse movimento de busca, leia, vai te ajudar, eu acho. E como eu tinha dito antes, não é o sentido busca "paulocoelhiana" não, 'vu? É algo além disso, um lugar que todo mundo pode ir, é só se desprender.
Pelamordedeus!
____________________________________________
Sei lá, o sentido de busca ainda ficou cheio de preconceitos e tudo mais pra mim, tire todos os conceitos pejorativos que você tiver na sua cabeça, ai depois 'cê vai entender o que eu estou dizendo.
beigos e boa sorte.

4 comentários:

  1. que viadagem. qualquer pessoa em qualquer idade pode ler e "sentir" clarice. obviamente de formas diferentes. quando voce tinha 17 anos voce achava clarice falava sobre isso, hoje voce acha que clarice fala sobre aquilo, daqui a 30 anos voce vai achar aquilo outro.

    tem um conto dela, felicidade clandestina que qualquer criança poderia ler e entender e, como voce diz, sentir.

    p.s voce ta se achando profunda demais.

    b-jux

    ResponderExcluir
  2. ps2. eu ainda vou ter um

    ps3 eu comentário serio foi porque eu to sem o que fazer.

    ResponderExcluir
  3. É vai ver 'tô me sentindo profunda demais. Não tiro sua razão sobre as idades. Mas, porém, entretanto e todavia, pelas pessoas que eu conheço de 16 e 17 anos as prioridades delas são tão outras, que não conseguem sentir como deveriam, como a questão do vestibular que eu falei, mas gostei.

    =D

    ResponderExcluir
  4. hmm... senti todas as caldas e camadas do bolo de chocolate..







    ...é difícil sentir todas as camadas e caldas e gostos do que Clarice escreve. Mas é gostoso sentir. Sentir, só isso! Nada de raciocínio.. É poesia! Não tem nada a ver com a lógica nem com a racionalidade das questões de vestibular.

    ResponderExcluir

e o que você tem a dizer????